quinta-feira, 17 de julho de 2008

Lágrimas


Talvez quem saiba daqui a um minuto tudo tenha acabado e desabe novamente em meus ombros, e meus olhos estejam encharcados de lágrimas, mas tenho que torcer para isso não acontecer, tenho que aprender a esquecer meus medos.
Preciso vencer.
É como se eu estivesse pulando por cima de lanças de fogo e recebendo espinhos ao invés de rosas.
Na minha carne sinto o cansaço querendo me abater, tentando me derrubar mais sei que ainda posso lutar, depende de mim basta que eu saiba como fazer.
A vida nos prega peças bem estranhas nos torna muitas vezes o palhaço do nosso próprio palco, mas não aquele palhaço que arranca risos de alegria, e sim nos torna o alvo dos deboches das criticas.
Mais quem não se levanta outra vez e outra vez a mais depois da queda, esse nem si quer merece ter um palco.
Lágrimas são apenas conseqüências de nossas quedas elas fazem parte de nós.

Elas surgem quando não há mais nada além da dor que nos invade.
Chorar nunca será vergonha, mas culpar o mundo e a vida de suas lágrimas isso sim é vergonha.

A grande vergonha não está em derramar lágrimas, mas sim em escondê-las só para mostrar-se forte e inatingível.
A vida é feita disso de doces sorrisos e amargas lágrimas.
E isso não nos torna infelizes pelo contrario, quando provamos à dor das lágrimas aprendemos o valor dos sorrisos.
E aprendemos também que existem outras lágrimas
Ás de alegria.

(Alessandra Almeida)

2 comentários:

'- Mari . disse...

Como sempre teus textos são belos! Incrivel, verdadeiro e singelo!
O jeito com que usa as palavras é fantástico! Adorei mesmo!

PS: Estou com saudades suas amiga! Te adoro pra sempre! *:

José Ricardo disse...

Lágrimas, gotas de uma salgada água, que podem representar tantas coisas, dor, sofrimento, angústia, solidão, tristeza, alegria, felicidade, surpresa, adimiração, sono (=P).

Parabéns Alessandra, por mais uma de suas belas poesias, te adoro, bjs.